Mutirão do idoso na UBSF Pampulha

Na manhã do último sábado, 20 de julho, a Unidade Básica de Saúde (UBS) Pampulha realizou o primeiro dia do Mutirão do Idoso. A iniciativa, executada pela Secretaria Municipal de Saúde, tem o objetivo de aprimorar ainda mais o acolhimento das pessoas que estão na terceira idade.

Na prática, o trabalho funciona assim: todas as unidades de saúde do Município são responsáveis por identificar, avaliar, estratificar e montar um plano de cuidado para cada idoso atendido. Segundo Cíntia Alves Teixeira, enfermeira de uma das equipes da UBS Pampulha, cerca de 80% dos pacientes da região Sul da cidade já foram estratificados.

“A estimativa é que quase cinco mil idosos estejam dentro da abrangência de atendimento da unidade e, ao realizar esse mutirão, esperamos alcançar ainda mais pessoas. Para nós, saúde do idoso não é ausência de doença, e sim é ele ter capacidade de realizar todos os seus desejos independentemente da idade ou da doença”, explicou.



O Mutirão do Idoso volta a acontecer na UBS Pampulha no próximo sábado, dia 27 de julho.

O mecanismo usado para conhecer melhor os pacientes é chamado de Trem do Idoso, onde o atendimento é dividido em estações e, em cada uma delas, são feitas avaliações para identificar a classificação de risco. Durante o percurso, os idosos recebem orientações sobre prevenção à queda, saúde bucal, violência contra o idoso, passam por avaliação nutricional e respondem as perguntas do Índice de Vulnerabilidade Clínico-Funcional (IVCF-20)*.

A aposentada Lídia Pereira da Silvia chegou cedinho na unidade para aproveitar a oportunidade. “Desde a primeira vez que vim até a unidade eu sempre fui muito bem atendida. Faço tratamento para diabetes, a equipe é atenciosa e adorei vir aqui hoje porque é uma coisa diferente do dia a dia. É bom para reencontrar os amigos também”, contou.



*O IVCF-20 é um instrumento para identificação rápida do idoso, com aplicação de um questionário de 20 perguntas, que avalia a autopercepção da saúde, a realização de atividades diárias, cognição, humor, mobilidade, comunicação e presença de comorbidades múltiplas. Cada resposta equivale a uma pontuação e, ao final, a soma reflete o grau de fragilidade da pessoa idosa (divididos em baixa, moderada e alta vulnerabilidade clínica-funcional).

Texto: portal online da Prefeitura Municipal de Uberlândia

9 visualizações

ENTRE EM

CONTATO CONOSCO