Dia do padrinho: que tal um apadrinhamento voluntário?


A Missão Sal da Terra oferece cursos para quem quiser participar do programa de apadrinhamento para crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade


A lei do Acolhimento Institucional existe desde 1990 e veio para garantir amparo e proteção da sociedade a crianças e adolescentes afastados de suas famílias e que já sofreram inúmeros impactos em seu desenvolvimento, devido às negligências, violências e abandonos. Dia 30 de janeiro é comemorado o dia do padrinho e o juiz da Vara de Infância e Juventude, Dr. José Roberto Poiani, ressalta que “o apadrinhamento afetivo ajuda as instituições de acolhimento a darem referências externas para o desenvolvimento dos acolhidos, para que, ao atingirem a maior idade, possam ter sua vida de forma independente”.


Através da parceria entre a Missão Sal da Terra e a Prefeitura Municipal de Uberlândia, via Secretaria de Desenvolvimento Social, Trabalho e Habitação (SEDESTH), foi criado o Programa de Apadrinhamento, que atua como parte da Rede de Proteção à Infância e Adolescência na cidade de Uberlândia-MG, visto que é preciso que as instituições e a sociedade ajudem a garantir os direitos das crianças e dos adolescentes.


Lorena Candelori Vidal, coordenadora do Programa de Apadrinhamento Missão Sal da Terra, explica que “o programa vem para instituir uma melhor assistência para as crianças e adolescentes, para que eles não fiquem em situação de vulnerabilidade, para que sejam promovidos. O programa oferece três tipos de apadrinhamento: o afetivo, o de serviços e o provedor. O interessado pode participar em mais de um formato, desde que corresponda adequadamente aos requisitos e demandas de cada um”. Mas qual a diferença entre eles e qual escolher?


O Apadrinhamento Afetivo é para aquelas pessoas que queiram participar ativamente da vida de crianças e adolescentes com poucas chances de adoção, recebendo-os nos fins de semana, férias ou em datas combinadas.


O Apadrinhamento de Serviços é para aqueles profissionais que estão dispostos a participar da rede do Programa, oferecendo gratuitamente o que eles fazem em sua profissão. O Programa possui diferentes tipos de profissionais: médicos, auxiliares de serviços gerais, pedreiros etc.


O Apadrinhamento Provedor é para a viabilização de bens e materiais (brinquedos, livros, roupas etc.) para as crianças e adolescentes que fazem parte do programa.


Em conversa com Fernanda Vasconcelos, pedagoga e madrinha do programa, ela nos contou que sua experiência tem superado todas as expectativas. A cada criança atendida, a cada sorriso, a cada conquista, ela vibra junto com elas. “Esse acompanhamento tem sido de grande valor, uma vez que a escola não dá conta das demandas, e essas crianças muitas vezes precisam de um olhar mais individual e de um tratamento afetuoso, ao qual eles respondem super bem”, completa.


Quer fazer parte desse programa? Para saber mais sobre como se tornar um padrinho ou madrinha, apoiar ou se cadastrar, entre em contato pelo (34) 3232-0223, (34) 98402-0984 ou pelas redes sociais: Instagram (@apadrinhamento_udi) ou Facebook (Apadrinhamento Uberlândia).

100 visualizações0 comentário